“Apocalipse em números”

Dados extraidos de: http://apocalipsemotorizado.blogspot.com/ (MUITO OBRIGADO THIAGO!!!)

 

O post deixa claro como utilizamos mal o espaço publico, como lutamos pouco por nossos direitos de ir e vir e como o carro é um vilão quando utilizado apenas para beneficio proprio.

:.apocalipse em números
//dados referentes apenas ao município de São Paulo//

:. cenário e personagens
– população: 10.434.252 habitantes *11
– frota de automóveis particulares: 5,6 milhões *14
– automóveis em circulação por dia: 3,5 milhões *1
– taxa de ocupação dos automóveis: 1,2 pessoas/veículo *1
– frota de motocicletas: 480.708 *11

– sistema viário (ruas): 17.220 km *11
– sistema viário monitorado pela CET: 550km *11
– buracos tapados por dia: 1,5 mil

– frota de bicicletas: 4,5 milhões *2
– bicicletas em circulação por dia: 300 mil *2
– ciclovias nas ruas: 4,5km *15
– ciclovias dentro de parques: 19 km *15

– frota de ônibus: 8 mil (+ 6 mil lotações e 4 mil intermunicipais)
– linhas de ônibus municipais: 830 concessionárias / 464 permissionárias *11
– cobertura das linhas de ônibus e lotações: 4.443 km *11
– corredores exclusivos para ônibus: 107km *11

– metrô: 60,2km / 54 estações
– metrô de Nova Iorque: 1.016km / 468 estações
– metrô da cidade do México (com a mesma idade do irmão paulistano): 220km
– passageiros do metrô: 1,9 milhões/dia *3

– trem (incluindo região metropolitana): 265,1km
– passageiros dos trens: 1,2 milhões / dia *3

– malha ferroviária brasileira em 1958: aprox 38 mil quilômetros
– malha ferroviária brasileira em 2005: aprox 30 mil quilômetros

– frota de táxis: 32.676 *11

:. barbárie
– média de congestionamento no horário de pico (dias úteis – manhã): 99km *1
– média de congestionamento no horário de pico (tarde): 111km *1
– velocidade média do trânsito no horário de pico-manhã: 38km/h *17
– velocidade média do trânsito no horário de pico-tarde: 20km/h *17
– quilômetros de vias monitorados pela CET: 560 *14


– mortos em “acidentes” de trânsito na cidade de São Paulo: 1586 *12
– homicídios na cidade de São Paulo em 2005: 3134 *12
– pedestres mortos em 2005: 757 *12
– ciclistas mortos em 2005: 39 *12
– motociclistas mortos em 2005: 177 *12
– ocupantes de veículos mortos em 2005: 132 *12
– mortos em “acidentes” de trânsito no estado de SP: 4907 *6

– mortos em “acidentes” por ano em todo o mundo: 1 milhão *16
– jovens entre 10 e 24 anos mortos em “acidentes” de trânsito no mundo: 400 mil *16
– os “acidentes” de trânsito são a principal causa de mortes de jovens entre 10 e 24 anos no mundo *16
– custo estimado dos “acidentes” em todo o mundo: US$ 518 bi *16

– “acidentes” com vítimas no Brasil em 2003: 333.689 *6
– mortos em “acidentes” de trânsito no Brasil: 32 mil/ano (2a causa de mortes “não naturais”) *6
– vítimas de homicídios no Brasil: 45 mil/ano
– custo dos “acidentes” em São Paulo: R$1,4 bi/ano (IPEA/ANTP)

– se colocássemos todos os carros da cidade uma linha reta, seriam 21,4 mil quilômetros de fila, mais da metade da circunferência da Terra na linha do Equador (40 mil quilômetros)
– a cada 23 minutos a cidade ganha um carro a mais em circulação
– a cada 6 horas alguém morre por causa de um “acidente” de trânsito
– os veículos são responsáveis por 70% da poluição na cidade *4
– 7 a 10 pessoas morrem diariamente por causa da poluição (geralmente idosos ou crianças)

– mortos em autoestradas estadunidenses em 2005: 43.443 *10

:. expropriação
– área ocupada pelo estacionamento e circulação de automóveis: cerca de 30%
– vagas públicas e gratuitas nas ruas: 1 milhão *7
– vagas em Zona Azul: 31 mil *7
– vagas para motoristas com deficiência: 158
– vagas em estacionamentos particulares: 800 mil (9 mil empresas) *7
– bibliotecas: 326
– salas de cinema: 265
– valor de uma vaga de garagem em prédio do centro expandido: R$20 a 30 mil
– motoristas que nunca receberam as multas por terem placas de outros estados: 18,7% das infrações
– prejuízo anual com acidentes nas estradas brasileiras: R$26 bi (1,7% do PIB) *13
– prejuízo anual para o SUS com os acidentes nas estradas: R$13 bi (1/3 do orçamento) *13
– “custo médio” de uma morte nas estradas: R$144 mil *13

:. lixo e poluição
– pneus descartados anualmente no Brasil: 40 milhões *9
– pneus descartados anualmente na União Européia: 90 milhões *9

:. alívio
– frota de bicicletas no Brasil: 60 milhões *5
– distribuição por regiões: Sudeste – 44%, Nordeste – 26%, Sul – 14%, Centro-oeste – 8%, Norte – 8% *5
– Bicicletas por tipo: transporte – 53%, infantil – 29%, lazer – 17%, esporte – 1% *5

:. dados e referências
– pessoas/hora transportadas em um metro de rua (por modo de transporte)*8:
carro – 170
Bicicleta – 1,500

ônibus – 2,700
pedestres – 3,600
trem/metrô – 4,000

-energia usada por passageiro a cada milha (em calorias)*8:
carro – 1,860
ônibus – 920
trem – 885
à pé – 100
bicicleta – 35

– bicicletas por 1000 pessoas (metade dos anos 90)*8:
EUA – 385
Alemanha – 588
Holanda – 1,000

– Porcentagem das viagens de bicicleta no total de viagens (1995)*8:
EUA – 1
Alemanha – 12
Holanda – 28

– porcentagem de adultos obesos (2003)*8:
EUA – 30.6
Alemanha – 12.9
Holanda – 10.0

– Percentual do PIB gasto com saúde (2002)*8:
EUA – 14.6
Alemanha – 10.9
Holanda – 8.8

:. fonte
*1 – CET
*2 – ANTP
*3 – Folha de São Paulo, 27.out.2004
*4 – Estado de São Paulo, 13.nov.2004
*5 – ABRACICLO
*6 – Dentatran / 2003
*7 – Estado de São Paulo, 09.mar.2006, p.C6
*8 – Worldwatch: http://www.worldwatch.org/node/4057
*9 – Estado de São Paulo, 23.jun.2006, p.A16
*10 – Associated Press (22.ago.2006)
*11 – São Paulo em Movimento / concessionárias: ônibus, permissionárias: lotações e micro-ônibus
*12 – PRO-AIM / CEINFO / SMS-SP
*13 – “Impactos sociais e econômicos dos acidentes de trânsito no Brasil 2004-2005″ – IPEA, ANTP, OPAN
*14 – Estado de S.Paulo, 18/03/2007
*15 – Secretaria do Verde e do Meio Ambiente, março de 2007
*16 – OMS em reportagem do Estado de S.Paulo (23/04/07, p.C-6)
*17 – CET/Folha de S.Paulo (14/03/07)

Anúncios

3 Respostas to ““Apocalipse em números””

  1. Não se coloque atrás das grades… « Reciclocidade Says:

    […] Parece exagero? Só parece, o numero de pessoas que morrem ou ficam com sequelas devido a acidentes de carro no Brasil só aumenta a cada ano, na vespera e no final dos feriados é assombroso o numero de vitimas e no pais morrem 32 mil pessoas por ano, definitivamente, uma arma de destruição em massa silenciosa. (para ver mais estatisticas, clique aqui) […]

  2. Samuel Correia de Aragão Says:

    Sou professor de trânsito na Paraíba, Advogado, pós-Graduado em Estudos de Trânsito pela Universidade Católica Dom Bosco de Mato Grosso do Sul.
    Acompanho através de pesquisas os índices de acidentes e mortes no trânsito do Brasil e de vários países.
    Muitos outros países conseguiram diminuir os índices de mortes no trânsito mesmo aumentando a frota. O caminho foi a implantar a educação para o trânsito e acabar com a impunidade, fazendo respeitar as leis.
    No Brasil, nada se faz pela Educação no Trânsito e as leis são desrespeitadas pelas próprias autoridades. Existe um Capítulo no Código de Trânsito sobre os “Crimes de Trânsito”, mas ninguém é punido. Criando a umpunidade.
    Cumpra-se os artigos 74 e 76 do CTB e logo o trânsito brasileiro começa a melhorar.

  3. Samuel Correia de Aragão Says:

    No comentário que fizemos em Janeiro desse ano falamos da desobidiência ao Capítulo dos Crimes de Trânsito inserido no Código de Trânsito Brasileiro e que ninguém era punido de acordo com tal lei.
    Mas, falamos também do desrespeito aos artigos 74 e 76 do mesmo diploma legal que disciplina a implantação de Educação para o Trânsito no ensino de 1º,2º e 3º graus.
    Vejam: Com a publicação da Lei de Tolerância Zero em relação ao acoól e a demonstração de haveria seu cumprimento de verdade, logo mudou e vai mudar muito mais o comportamento de muitas pessoas.

    Da mesma forma será quando as nossas autoridades cumprirem a lei e implantarem a Educação para o Trânsito nas Escolas e Universidades.
    Assim como hoje estão mudando o comportamento em relação a beber e dirigir ou dirigir bebendo, nossas crianças, adolescentes e adultos depois de conscientizados dos perigos do trânsito e da necessidade de respeitar as leis, seja na condição de pedestre, ciclista, motociclista ou motorista com certeza vai diminuir muito mais os índices de acidentes e mortes no trânsito brasileiro. Com a educação, todos vão saber preservar a vida dentro do trânsito. É o que todos os brasileiros desejam.
    Basta obedecer a lei dos dois lados, autoridades e povo para que nosso trânsito seja mais fluente e menos violento.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: