Archive for the ‘Consumismo’ Category

O saco plástico: Um mal necessário?

novembro 30, 2007

As sacolas de plástico que utilizamos para carregar nossas compras de supermercado e outros estabelecimentos é um grande problema para a ecologia do planeta. Para que ela seja barata quando comprada em grandes quantidades por esses estabelecimentos, ela é feita de um material muito fino, que impossibilita qualquer chance de reciclagem da mesma. A sacola demora cerca de 200 anos para se decompor, pode ser reutilizada como saco de lixo em casa, mas devido a grande quantidade que é utilizada (estima-se que uma família brasileira utiliza em média 66 sacolas mensalmente) boa parte dessas sacolas acabam no meio ambiente, em lixões e nos esgotos. Nas cidades elas são responsáveis por entupir bueiros, canos e bocas de lobo, causando transbordamentos dos mesmos e contribuindo para o aumento e enchentes, estas por sua vez causam doenças e danos patrimoniais públicos e privados. Quando as sacolas saem das cidades e chegam aos rios e mares, além da poluição residual, causam o afogamento de alguns animais que confundem as sacolas com alimentos e as pequenas sacolas são capazes até de engasgar baleias e outros animais de pequeno, médio e grande porte, causando a sua morte.

 

sacola_tartaruga.jpg

Existem algumas alternativas para as sacolas de plástico, a utilização de sacolas de pano é uma delas. As pessoas utilizam suas próprias sacolas de pano para fazer compras, isso limita a capacidade de uma pessoa de carregar coisas, por vez ajuda a combater o consumismo exacerbado, mesmo que as pessoas não percebam que isso acontece. Outra opção é a sacola feita com material biodegradável, mas a decomposição desse material não é 100% limpa e ainda é um material muito caro para se trabalhar. A utilização de uma sacola mais grossa seria outra opção, ela pode ser reciclada, mas a utilização de mais material na sua composição aumenta o seu preço e o uso excessivo de matéria prima piora a situação no caso da sacola mais grossa não for reciclada e sim jogada ao meio ambiente e não podemos esquecer que a sustentabilidade entra em jogo, nesse caso, precisamos fechar o ciclo de vida da sacola e o dispêndio de energia, água e dinheiro durante o processo de reciclagem torna a sacola mais grossa pouco sustentável.

 

sacola_coral.jpg

Alguns paises europeus proibiram o uso da sacola de plástico, em outros lugares a sua comercialização é proibida e tratada com uma multa altíssima. Em outros paises mudanças mais drásticas acontecem em relação ao uso de materiais plásticos, como copos descartáveis e talheres, em Taiwan a sua utilização e produção são proibidas. Aqui no Brasil a coisa é lenta, existem estudos sobre a utilização de matérias menos poluentes e biodegradáveis, mas nenhuma campanha de conscientização, lei ou incentivo é dado a quem realmente interessa, o usuário final do produto.

Dados retirados da matéria: “Cortar o saco para salvar o mundo” – Revista Superinteressante – Dez/2007 – pags 38-39.

Anúncios

Duas de Amsterdã e uma do Brasil

novembro 5, 2007

ponte_amsterdam_ogul-oz01.jpg

Primeiro a intervenção do artista Ogul Oz na ponte Hoofddorpweg, os dizeres em inglês falam que se a água atingir aquele nível não precisarão mais da ponte e sugere, ironicamente, que os motoristas continuem dirigindo.

A Holanda, por ser um dos paises baixos, será um dos primeiros a ser engolido pela água do mar caso o degelo provocado pelo aquecimento global continue. *imagem e parte do comentario extraido do apocalipse motorizado
cd-q-o-pc-gravou-n-1-167.jpg

Mas os holandeses fazem bom uso de uma das formas de transporte sustentável, a bicicleta, como pode ser visto na foto acima, de um paraciclo em Amsterdã, capital Holandesa. *foto cedida por amigo, em viagem a holanda, valeu Boi!

O Brasil também faz a sua parte, venda de veículos no país bate recorde, para ajudar a afundar a Holanda e o resto do mundo.

Moral da história: BICICLETA = SUSTENTÁVEL, CARRO = FUTURO BARCO

“Do nascimento a morte em um carro”

outubro 5, 2007

singer_life_death_car.jpg

Será que não estamos utilizando o carro demasiadamente em nossas vidas?

fracassado.jpg

e ainda por cima, será que não estamos exagerando no valor agregado de um carro? Ele da a liberdade, mobilidade, te deixa mais bonito e saudável como mostram as propagandas?

Surplus

outubro 5, 2007

O documentário Surplus mostra os excessos da atual produção em massa e o consumo desenfreado que afligem a maioria dos paises e culturas mundiais e os problemas que vem sendo causados ao meio ambiente e para todos que estão nele. John Zerzan é considerado o Guru da anti-globalização e o produtor Eric Gandini se baseia nos pensamentos de Zerzan para mostrar a destruição das reservas naturais e do meio ambiente que vem sendo causada pela vida consumista que vivemos.

Essa é a primeira parte, o documentario foi dividido em 10 partes e todas podem ser encontradas no link do proprio video no youtube.

Bem vindos, a mim e a vocês.

agosto 30, 2007

O RECICLOCIDADE é um blog voltado a discussões sobre o transito da cidade de São Paulo, qualidade de vida e globalização e como esses 3 itens podem influenciar na nossa vida e nem percebemos.

Se você mora em São Paulo, bem como em outras grandes cidades, as vezes nem tão grandes assim, sabe o quanto o congestionamento é algo que literalmente ATRASA a vida, fazemos tudo correndo, com pressa, sem a qualidade que gostariamos para poder sair de casa / trabalho / faculdade, ou de onde quer que esteja para nos locomovermos a 10km/h em nossos carros para chegar a outro lugar, provavelmente atrasado, fazemos tudo com pressa, porque sabemos que vamos ficar horas parados no transito, estamos empregando nosso tempo mais na locomoção do que nas tarefas que temos no dia-a-dia, de fato, se locomover por São Paulo ja se tornou uma tarefa ardua a muito tempo. Com certeza o carro é muito mais confortavel que os outros membros de transporte, você ouve o seu radio, sente o seu cheiro, come as suas tranqueiras e fica parado, igual todo mundo continua parado, tanto no transito quanto fisicamente. Porque não utilizamos mais transporte publico? Ou bicicletas? ou qualquer outro meio de transporte que agrida menos o meio ambiente, que agrida menos a nossa saude e que ajude a conservar a ordem na cidade, será que é tudo culpa do governo? Sem duvida somos carentes de onibus, metros e outros transportes de qualidade, mas pare e pense um pouco, será que todo dia você precisa do seu carro para ir trabalhar? Será que não da para pegar o metro e ir a pé? a quantos anos você não anda 2 quadras a pé? Também somos carente de ciclovias, ciclofaixas e de programas de conscientização de motoristas, que mostrem que a bicicleta também é parte do transito. Não adianta culpar o governo, provavelmente eles nunca irão fazer nada se nós não começarmos a fazer, se cada um fizer a sua parte ja será um grande adianto na vida de todos. afiche-calle-inteligente-70.jpg

A imagem acima é um cartaz sobre a utilização do espaço publico na cidade de Bogotá na Colombia, nos 3 casos aparecem 150 pessoas, primeiro cada uma em seu carro, depois todas em um onibus bi-articulado e depois cada uma em sua bicicleta.

O nome, reciclocidade, foi baseado no estudo sobre a sustentabilidade do fisico Fritjot Capra, um dos termos desse estudo é a reciclagem que explica os CICLOS que os ecossistemas naturais seguem para garantirem sua sobrevivência. Todos ecossistemas produzem residúos decorrentes de sua alimentação e outras atividades, esses residuos são aproveitados por outros ecossistemas, o que é descartado por um, é utilizado por outro. Todos ecossistemas fazem essa reciclagem, menos um, as cidades, a melhor e maior expressão de ecossistema humano. O nome reciclocidade é uma critica a essa falta de reciclagem dos nossos residuos e um incentivo a começarmos a ver o mundo como um grande ecossistema, que precisamos dele assim como ele precisa de nós e só alcançaremos isso com a re-educação dos nossos costumes.