Archive for the ‘Trânsito’ Category

Você sabia que…

dezembro 9, 2007

a lei 9.503 de 23 de setembro de 1997. Institui o Código de Trânsito Brasileiro.

Art. 58. Nas vias urbanas e na rurais de pista dupla, a circulação de bicicletas deverá ocorrer, quando não houver ciclovia, ciclofaixa, ou acostamento (praticamente sempre), ou quando não for possível a utilização destes, nos bordos da pista de rolamento, no mesmo sentido de circulação regulamentado para a via, com preferência sobre os veículos automotores.

Art. 21. Compete aos ógãos e entidades executivos rodoviários da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, no âmbito de sua circunscrição:
II – planejar, projetar, regulamentar e operar o trânsito de veículos, de pedestres e de animais, e promover o desenvolvimento da circulação e da segurança de ciclistas. (alguém não está cumprindo sua parte)

Art. 201. Deixar de guardar a distância lateral de um metro e cinqüenta centímetros ao passar ou ultrapassar bicicleta:

Infração – média;
Penalidade – multa.

lei.jpg

Art. 220. Deixar de reduzir a velocidade do veículo de forma compatível com a segurança do trânsito:

XIII – ao ultrapassar ciclista:
Infração – grave;
Penalidade – multa;

Já que as autoridades responsáveis não estão garantindo a circulação segura de ciclistas e de pedestres, você pode fazer a sua parte. Respeite para ser respeitado.

Anúncios

As chuvas de verão

novembro 13, 2007

Todo ano acontece a mesma coisa, chega o verão e temos dias intensos de calor e tardes chuvosas, normalmente pancadas de chuvas que transbordam as marginais, alagam as partes mais baixas da cidade e conseguem a façanha de piorar, ainda mais, o transito da cidade. Sem tocar no assunto dos impostos e questionar para onde vai nosso dinheiro senão para justamente resolver tais problemas, ja vimos algumas obras que deram certo em São Paulo, como a canalização do Tietê que possibilitou um alargamento das margens e maior escoamento de água dos seus afluentes. Para quem não sabe, toda água de São Paulo tem destino final o rio Tietê (DAEE), inclusive todo o lixo que é jogado na rua, tem o mesmo destino, fica obvio que é meio hipocrita jogar lixo na rua e depois reclamar da enchente, “ah mas era só um papel de bala”, imagine se metade da população da cidade pensar assim e jogar, apenas um papelzinho de bala na rua todo dia.

Além desse problema educacional, que pode ser facilmente resolvido, temos um problema muito maior, que não é nada simples como um papelzinho de bala.

pic-007.jpg

A foto acima é da avenida Sumaré, as 14:30 da tarde do dia 8 de novembro, como podemos ver, as obras feitas na cidade, como piscinões, galerias e outras tentativas de captar as águas da chuva não tem dado muito certo, falo isso porque moro aqui desde meu 5 anos de idade e sempre foi assim, choveu, encheu. Fica claro a necessidade de mais e maiores áreas capazes de absorver a água da chuva, o asfalto, calçadas, ruas e avenidas não estão dando conta, afinal o material usado na construção dessas não costuma ser permeavel, como a boa e velha terra. Não estou sugerindo que voltemos a ter ruas de terra na cidade, mas acredito que a cidade de São Paulo está se esgotando, não estamos tentando resolver os problemas, apenas estamos ampliando os mesmos, novas avenidas, novos condominios, prédios com 30 andares e 4 apartamentos por andar. Estamos colocando mais pessoas em um local do mesmo tamanho, estamos aumentando o número de habitantes, sem aumentar a capacidade desse sistema, estamos nos consumindo, sem perceber, ou será que percebemos e não nôs importamos?

pic-015.jpg

Bem, eu me importo de ver a minha cidade submersa, pessoas que eu conheço correndo risco de pegar doenças e até risco de vida, eu me importo em ver a maior e mais rica cidade desse país por baixo d’agua.

O titulo do post só serviu para enganar, o verão só começa dia 21 de Dezembro, ou seja, as chuvas vieram mais cedo esse ano, como ja haviam mais cedo ano passado e cada vez esse adiantamento se fortalece, está na hora de começarmos a acreditar no tal do aquecimento global né?

Túnel Rebouças

novembro 8, 2007

tunel.jpg

Com o deslizamento de terra que ocorreu no tunel Rebouças no Rio de Janeiro, boa parte do elevado que antecede o tunel e as avenidas que chegam nele ficaram bloqueadas para os carros. As bicicletas por suas vez, reaveram o espaço publico, deixando claro o quanto o automovel é um veiculo não sustentavel, além de todos os males que ele causa ao meio ambiente, fica claro que a infra-estrutura para a circulação de veiculos com 1,2 e 1,4 pessoas (média da cidade do Rio) não é sustentavel, é cara e muito fragil, isso fica evidente nos kilometros de congestionamentos que temos diariamente nas capitais e em outras cidades do Brasil inteiro, mas parece que precisa cair uma montanha para as pessoas perceberem o quanto o carro é limitado e o quanto ele limita as pessoas que utilizam ele, tanto no contato com o mundo, quanto a percepção dos problemas que afligem as cidades em que vivemos.

*Video cedido do blog transporte ativo

Não se coloque atrás das grades…

outubro 16, 2007

… e muito menos dentro deles, os carros.
blog.jpg

A fumaça emitida pelo escapamento dos carros aumenta a destruição do meio ambiente, cada carro carrega cerca de uma pessoa, apesar de na maioria caberem ao menos 5, mas quando 5 pessoas vão para o mesmo lugar no meio da semana? Logo precisamos de vários carros para encher uma empresa, uma loja, um banco e outros locais de trabalho durante a semana, toda essa fumaça e massa de metal ambulante acabam por aumentar o aquecimento global, as pessoas não acreditam, mas pare um pouco pra pensar: Quando no começo da primavera esteve tão quente e seco como está sendo esse ano??? Nunca!!! O que o cidadão pensa? “Vou comprar um carro com ar-condicionado”*, pronto, mais um dispositivo poluente instalado no maior vilão do transito e do meio ambiente nas cidades.

campanha_desarmamento.JPG

Parece exagero? Só parece, o numero de pessoas que morrem ou ficam com sequelas devido a acidentes de carro no Brasil só aumenta a cada ano, na vespera e no final dos feriados é assombroso o numero de vitimas e no pais morrem 32 mil pessoas por ano, definitivamente, uma arma de destruição em massa silenciosa. (para ver mais estatisticas, clique aqui)

Nos 2 ultimos desastres aéros no Brasil, morreram um total aproximado 320 pessoas, realmente é chocante, um avião desapareceu no meio da Selva e o outro não freiou e explodiu no meio da cidade de São Paulo, o problema é que ninguem para pra pensar que morrem aproximadamente 1200 pessoas em acidentes de carro no Brasil por ano, muito mais que o numero de pessoas nos 2 maiores acidentes de avião da história do pais.

*Agradecimentos ao professor Sergio Bicudo, pela discussão em sala que nos levou a esse pensamento
O desenho da arma de destruição em massa foi extraido do blog Apocalipse Motorizado.

Explicação para o titulo do post: Citei grades, porque além de todos os males que citei acima, quando o motorista está fechado no seu carro, com o ar-condicionado ligado é o mesmo que estar dentro de seu predio em um condominio fechado, diminui a sociabilidade, não interage com as pessoas que estão a sua volta, tem uma falsa sensação de segurança e de poder e “deixam a duvida, se é você quem está nessa prisão” … O Rappa

Mobilidade e Velocidade em São Paulo.

outubro 5, 2007

Cenário 1:

Sexta-feira, 11:25 da manha, recebo uma ligação e me informam que preciso ir até a Vila Olimpia buscar um produto para um cliente. Pego minha mochila, capacete e bicicleta e vou até o local, que se encontra a cerca de 10km do local em que recebi a ligação, ao chegar no mesmo, recebo outra ligação que me informa que tenho que entregar o produto na avenida Paulista e como a mesma estaria no meio do caminho para mim, não foi problema, fiz o percurso completo, em 48 minutos, contando todas as paradas, a burocracia para retirada e entrega do produto e até voltar ao ponto inicial.

Cenário 2:

Sexta-feira, por volta das 10:30 da manha na semana seguinte, preciso busca outro produto no mesmo local na Vila Olimpia e entregar para o mesmo cliente na avenida Paulista, só que dessa vez a entrega era urgente, fui de carro… eram 11:10 da manha e eu estava saindo da Vila Olimpia, me restavam 8 minutos para perder para a bicicleta e só um pensamento na cabeça: “ja tentou parar o carro na Avenida Paulista na sexta-feira sem pagar algo parecido com 12 reais de estacionamento?”. O tempo total com o carro demorou 1:45 minutos, só para entregar, sem contar o retorno até o ponto inicial.

Para uma cidade como São Paulo, aonde todos vivem correndo para cumprir prazos e horarios, o carro está sendo um grande inimigo contra a mobilidade e velocidade.

avenida-paulista.jpg

A foto é linda, mas pra quem estava dentro dos carros parados na volta do serviço não devia estar nada agradavel.

“Do nascimento a morte em um carro”

outubro 5, 2007

singer_life_death_car.jpg

Será que não estamos utilizando o carro demasiadamente em nossas vidas?

fracassado.jpg

e ainda por cima, será que não estamos exagerando no valor agregado de um carro? Ele da a liberdade, mobilidade, te deixa mais bonito e saudável como mostram as propagandas?

“Apocalipse em números”

setembro 13, 2007

 

Post completamente extráido do blog Apocalipsemotorizado

http://apocalipsemotorizado.blogspot.com/

 

O post deixa claro como utilizamos mal o espaço publico, como lutamos pouco por nossos direitos de ir e vir e como o carro é um vilão quando utilizado apenas para beneficio proprio.

:.apocalipse em números
//dados referentes apenas ao município de São Paulo//

:. cenário e personagens
– população: 10.434.252 habitantes *11
– frota de automóveis particulares: 5,6 milhões *14
– automóveis em circulação por dia: 3,5 milhões *1
– taxa de ocupação dos automóveis: 1,2 pessoas/veículo *1
– frota de motocicletas: 480.708 *11

– sistema viário (ruas): 17.220 km *11
– sistema viário monitorado pela CET: 550km *11
– buracos tapados por dia: 1,5 mil

– frota de bicicletas: 4,5 milhões *2
– bicicletas em circulação por dia: 300 mil *2
– ciclovias nas ruas: 4,5km *15
– ciclovias dentro de parques: 19 km *15

– frota de ônibus: 8 mil (+ 6 mil lotações e 4 mil intermunicipais)
– linhas de ônibus municipais: 830 concessionárias / 464 permissionárias *11
– cobertura das linhas de ônibus e lotações: 4.443 km *11
– corredores exclusivos para ônibus: 107km *11

– metrô: 60,2km / 54 estações
– metrô de Nova Iorque: 1.016km / 468 estações
– metrô da cidade do México (com a mesma idade do irmão paulistano): 220km
– passageiros do metrô: 1,9 milhões/dia *3

– trem (incluindo região metropolitana): 265,1km
– passageiros dos trens: 1,2 milhões / dia *3

– malha ferroviária brasileira em 1958: aprox 38 mil quilômetros
– malha ferroviária brasileira em 2005: aprox 30 mil quilômetros

– frota de táxis: 32.676 *11

:. barbárie
– média de congestionamento no horário de pico (dias úteis – manhã): 99km *1
– média de congestionamento no horário de pico (tarde): 111km *1
– velocidade média do trânsito no horário de pico-manhã: 38km/h *17
– velocidade média do trânsito no horário de pico-tarde: 20km/h *17
– quilômetros de vias monitorados pela CET: 560 *14


– mortos em “acidentes” de trânsito na cidade de São Paulo: 1586 *12
– homicídios na cidade de São Paulo em 2005: 3134 *12
– pedestres mortos em 2005: 757 *12
– ciclistas mortos em 2005: 39 *12
– motociclistas mortos em 2005: 177 *12
– ocupantes de veículos mortos em 2005: 132 *12
– mortos em “acidentes” de trânsito no estado de SP: 4907 *6

– mortos em “acidentes” por ano em todo o mundo: 1 milhão *16
– jovens entre 10 e 24 anos mortos em “acidentes” de trânsito no mundo: 400 mil *16
– os “acidentes” de trânsito são a principal causa de mortes de jovens entre 10 e 24 anos no mundo *16
– custo estimado dos “acidentes” em todo o mundo: US$ 518 bi *16

– “acidentes” com vítimas no Brasil em 2003: 333.689 *6
– mortos em “acidentes” de trânsito no Brasil: 32 mil/ano (2a causa de mortes “não naturais”) *6
– vítimas de homicídios no Brasil: 45 mil/ano
– custo dos “acidentes” em São Paulo: R$1,4 bi/ano (IPEA/ANTP)

– se colocássemos todos os carros da cidade uma linha reta, seriam 21,4 mil quilômetros de fila, mais da metade da circunferência da Terra na linha do Equador (40 mil quilômetros)
– a cada 23 minutos a cidade ganha um carro a mais em circulação
– a cada 6 horas alguém morre por causa de um “acidente” de trânsito
– os veículos são responsáveis por 70% da poluição na cidade *4
– 7 a 10 pessoas morrem diariamente por causa da poluição (geralmente idosos ou crianças)

– mortos em autoestradas estadunidenses em 2005: 43.443 *10

:. expropriação
– área ocupada pelo estacionamento e circulação de automóveis: cerca de 30%
– vagas públicas e gratuitas nas ruas: 1 milhão *7
– vagas em Zona Azul: 31 mil *7
– vagas para motoristas com deficiência: 158
– vagas em estacionamentos particulares: 800 mil (9 mil empresas) *7
– bibliotecas: 326
– salas de cinema: 265
– valor de uma vaga de garagem em prédio do centro expandido: R$20 a 30 mil
– motoristas que nunca receberam as multas por terem placas de outros estados: 18,7% das infrações
– prejuízo anual com acidentes nas estradas brasileiras: R$26 bi (1,7% do PIB) *13
– prejuízo anual para o SUS com os acidentes nas estradas: R$13 bi (1/3 do orçamento) *13
– “custo médio” de uma morte nas estradas: R$144 mil *13

:. lixo e poluição
– pneus descartados anualmente no Brasil: 40 milhões *9
– pneus descartados anualmente na União Européia: 90 milhões *9

:. alívio
– frota de bicicletas no Brasil: 60 milhões *5
– distribuição por regiões: Sudeste – 44%, Nordeste – 26%, Sul – 14%, Centro-oeste – 8%, Norte – 8% *5
– Bicicletas por tipo: transporte – 53%, infantil – 29%, lazer – 17%, esporte – 1% *5

:. dados e referências
– pessoas/hora transportadas em um metro de rua (por modo de transporte)*8:
carro – 170
Bicicleta – 1,500

ônibus – 2,700
pedestres – 3,600
trem/metrô – 4,000

-energia usada por passageiro a cada milha (em calorias)*8:
carro – 1,860
ônibus – 920
trem – 885
à pé – 100
bicicleta – 35

– bicicletas por 1000 pessoas (metade dos anos 90)*8:
EUA – 385
Alemanha – 588
Holanda – 1,000

– Porcentagem das viagens de bicicleta no total de viagens (1995)*8:
EUA – 1
Alemanha – 12
Holanda – 28

– porcentagem de adultos obesos (2003)*8:
EUA – 30.6
Alemanha – 12.9
Holanda – 10.0

– Percentual do PIB gasto com saúde (2002)*8:
EUA – 14.6
Alemanha – 10.9
Holanda – 8.8

:. fonte
*1 – CET
*2 – ANTP
*3 – Folha de São Paulo, 27.out.2004
*4 – Estado de São Paulo, 13.nov.2004
*5 – ABRACICLO
*6 – Dentatran / 2003
*7 – Estado de São Paulo, 09.mar.2006, p.C6
*8 – Worldwatch: http://www.worldwatch.org/node/4057
*9 – Estado de São Paulo, 23.jun.2006, p.A16
*10 – Associated Press (22.ago.2006)
*11 – São Paulo em Movimento / concessionárias: ônibus, permissionárias: lotações e micro-ônibus
*12 – PRO-AIM / CEINFO / SMS-SP
*13 – “Impactos sociais e econômicos dos acidentes de trânsito no Brasil 2004-2005” – IPEA, ANTP, OPAN
*14 – Estado de S.Paulo, 18/03/2007
*15 – Secretaria do Verde e do Meio Ambiente, março de 2007
*16 – OMS em reportagem do Estado de S.Paulo (23/04/07, p.C-6)
*17 – CET/Folha de S.Paulo (14/03/07)

Bem vindos, a mim e a vocês.

agosto 30, 2007

O RECICLOCIDADE é um blog voltado a discussões sobre o transito da cidade de São Paulo, qualidade de vida e globalização e como esses 3 itens podem influenciar na nossa vida e nem percebemos.

Se você mora em São Paulo, bem como em outras grandes cidades, as vezes nem tão grandes assim, sabe o quanto o congestionamento é algo que literalmente ATRASA a vida, fazemos tudo correndo, com pressa, sem a qualidade que gostariamos para poder sair de casa / trabalho / faculdade, ou de onde quer que esteja para nos locomovermos a 10km/h em nossos carros para chegar a outro lugar, provavelmente atrasado, fazemos tudo com pressa, porque sabemos que vamos ficar horas parados no transito, estamos empregando nosso tempo mais na locomoção do que nas tarefas que temos no dia-a-dia, de fato, se locomover por São Paulo ja se tornou uma tarefa ardua a muito tempo. Com certeza o carro é muito mais confortavel que os outros membros de transporte, você ouve o seu radio, sente o seu cheiro, come as suas tranqueiras e fica parado, igual todo mundo continua parado, tanto no transito quanto fisicamente. Porque não utilizamos mais transporte publico? Ou bicicletas? ou qualquer outro meio de transporte que agrida menos o meio ambiente, que agrida menos a nossa saude e que ajude a conservar a ordem na cidade, será que é tudo culpa do governo? Sem duvida somos carentes de onibus, metros e outros transportes de qualidade, mas pare e pense um pouco, será que todo dia você precisa do seu carro para ir trabalhar? Será que não da para pegar o metro e ir a pé? a quantos anos você não anda 2 quadras a pé? Também somos carente de ciclovias, ciclofaixas e de programas de conscientização de motoristas, que mostrem que a bicicleta também é parte do transito. Não adianta culpar o governo, provavelmente eles nunca irão fazer nada se nós não começarmos a fazer, se cada um fizer a sua parte ja será um grande adianto na vida de todos. afiche-calle-inteligente-70.jpg

A imagem acima é um cartaz sobre a utilização do espaço publico na cidade de Bogotá na Colombia, nos 3 casos aparecem 150 pessoas, primeiro cada uma em seu carro, depois todas em um onibus bi-articulado e depois cada uma em sua bicicleta.

O nome, reciclocidade, foi baseado no estudo sobre a sustentabilidade do fisico Fritjot Capra, um dos termos desse estudo é a reciclagem que explica os CICLOS que os ecossistemas naturais seguem para garantirem sua sobrevivência. Todos ecossistemas produzem residúos decorrentes de sua alimentação e outras atividades, esses residuos são aproveitados por outros ecossistemas, o que é descartado por um, é utilizado por outro. Todos ecossistemas fazem essa reciclagem, menos um, as cidades, a melhor e maior expressão de ecossistema humano. O nome reciclocidade é uma critica a essa falta de reciclagem dos nossos residuos e um incentivo a começarmos a ver o mundo como um grande ecossistema, que precisamos dele assim como ele precisa de nós e só alcançaremos isso com a re-educação dos nossos costumes.