“Do nascimento a morte em um carro”

outubro 5, 2007

singer_life_death_car.jpg

Será que não estamos utilizando o carro demasiadamente em nossas vidas?

fracassado.jpg

e ainda por cima, será que não estamos exagerando no valor agregado de um carro? Ele da a liberdade, mobilidade, te deixa mais bonito e saudável como mostram as propagandas?

Bikes na Holanda.

outubro 5, 2007

Foto de 2 estacionamentos de bicicletas na Holanda.
bikeholanda.jpg

Segundo a descrição da foto na Holanda existem 16.2 milhões de pessoas e quase 16.2 milhões de bicicletas.

Uma brincadeira que o povo de lá usa é: “Se a sua bike vale mais que o cadeado dela, ela vai ser roubada”

bikeholanda2.jpg

Surplus

outubro 5, 2007

O documentário Surplus mostra os excessos da atual produção em massa e o consumo desenfreado que afligem a maioria dos paises e culturas mundiais e os problemas que vem sendo causados ao meio ambiente e para todos que estão nele. John Zerzan é considerado o Guru da anti-globalização e o produtor Eric Gandini se baseia nos pensamentos de Zerzan para mostrar a destruição das reservas naturais e do meio ambiente que vem sendo causada pela vida consumista que vivemos.

Essa é a primeira parte, o documentario foi dividido em 10 partes e todas podem ser encontradas no link do proprio video no youtube.

A Carta da Terra

outubro 4, 2007

carta_terra.jpg

A Carta da Terra é um documento como a declaração universal dos direitos humanos, mas no caso da Carta da Terra, poderíamos chama-la de “Declaração Universal dos Deveres Humanos”, nela são tratados pontos cruciais para a manutenção da vida na Terra, dentre estes pontos os principais são: ecossistemas, sociabilidade, sustentabilidade, crenças religiosas, erradicação da pobreza, resolução pacifica de conflitos e a igualdade entre os seres-humanos, tanto na questão de clareza na administração da Terra e suas nações, na igualdade de gênero e na manutenção e instrução desses pontos para as gerações futuras, que terão a responsabilidade de darem continuidade a manutenção dos princípios da Carta da Terra.

Você pode ler a carta A Carta da Terra na integra procurando nas páginas no menu da direita. Ou clicando aqui

“Apocalipse em números”

setembro 13, 2007

 

Post completamente extráido do blog Apocalipsemotorizado

http://apocalipsemotorizado.blogspot.com/

 

O post deixa claro como utilizamos mal o espaço publico, como lutamos pouco por nossos direitos de ir e vir e como o carro é um vilão quando utilizado apenas para beneficio proprio.

:.apocalipse em números
//dados referentes apenas ao município de São Paulo//

:. cenário e personagens
– população: 10.434.252 habitantes *11
– frota de automóveis particulares: 5,6 milhões *14
– automóveis em circulação por dia: 3,5 milhões *1
– taxa de ocupação dos automóveis: 1,2 pessoas/veículo *1
– frota de motocicletas: 480.708 *11

– sistema viário (ruas): 17.220 km *11
– sistema viário monitorado pela CET: 550km *11
– buracos tapados por dia: 1,5 mil

– frota de bicicletas: 4,5 milhões *2
– bicicletas em circulação por dia: 300 mil *2
– ciclovias nas ruas: 4,5km *15
– ciclovias dentro de parques: 19 km *15

– frota de ônibus: 8 mil (+ 6 mil lotações e 4 mil intermunicipais)
– linhas de ônibus municipais: 830 concessionárias / 464 permissionárias *11
– cobertura das linhas de ônibus e lotações: 4.443 km *11
– corredores exclusivos para ônibus: 107km *11

– metrô: 60,2km / 54 estações
– metrô de Nova Iorque: 1.016km / 468 estações
– metrô da cidade do México (com a mesma idade do irmão paulistano): 220km
– passageiros do metrô: 1,9 milhões/dia *3

– trem (incluindo região metropolitana): 265,1km
– passageiros dos trens: 1,2 milhões / dia *3

– malha ferroviária brasileira em 1958: aprox 38 mil quilômetros
– malha ferroviária brasileira em 2005: aprox 30 mil quilômetros

– frota de táxis: 32.676 *11

:. barbárie
– média de congestionamento no horário de pico (dias úteis – manhã): 99km *1
– média de congestionamento no horário de pico (tarde): 111km *1
– velocidade média do trânsito no horário de pico-manhã: 38km/h *17
– velocidade média do trânsito no horário de pico-tarde: 20km/h *17
– quilômetros de vias monitorados pela CET: 560 *14


– mortos em “acidentes” de trânsito na cidade de São Paulo: 1586 *12
– homicídios na cidade de São Paulo em 2005: 3134 *12
– pedestres mortos em 2005: 757 *12
– ciclistas mortos em 2005: 39 *12
– motociclistas mortos em 2005: 177 *12
– ocupantes de veículos mortos em 2005: 132 *12
– mortos em “acidentes” de trânsito no estado de SP: 4907 *6

– mortos em “acidentes” por ano em todo o mundo: 1 milhão *16
– jovens entre 10 e 24 anos mortos em “acidentes” de trânsito no mundo: 400 mil *16
– os “acidentes” de trânsito são a principal causa de mortes de jovens entre 10 e 24 anos no mundo *16
– custo estimado dos “acidentes” em todo o mundo: US$ 518 bi *16

– “acidentes” com vítimas no Brasil em 2003: 333.689 *6
– mortos em “acidentes” de trânsito no Brasil: 32 mil/ano (2a causa de mortes “não naturais”) *6
– vítimas de homicídios no Brasil: 45 mil/ano
– custo dos “acidentes” em São Paulo: R$1,4 bi/ano (IPEA/ANTP)

– se colocássemos todos os carros da cidade uma linha reta, seriam 21,4 mil quilômetros de fila, mais da metade da circunferência da Terra na linha do Equador (40 mil quilômetros)
– a cada 23 minutos a cidade ganha um carro a mais em circulação
– a cada 6 horas alguém morre por causa de um “acidente” de trânsito
– os veículos são responsáveis por 70% da poluição na cidade *4
– 7 a 10 pessoas morrem diariamente por causa da poluição (geralmente idosos ou crianças)

– mortos em autoestradas estadunidenses em 2005: 43.443 *10

:. expropriação
– área ocupada pelo estacionamento e circulação de automóveis: cerca de 30%
– vagas públicas e gratuitas nas ruas: 1 milhão *7
– vagas em Zona Azul: 31 mil *7
– vagas para motoristas com deficiência: 158
– vagas em estacionamentos particulares: 800 mil (9 mil empresas) *7
– bibliotecas: 326
– salas de cinema: 265
– valor de uma vaga de garagem em prédio do centro expandido: R$20 a 30 mil
– motoristas que nunca receberam as multas por terem placas de outros estados: 18,7% das infrações
– prejuízo anual com acidentes nas estradas brasileiras: R$26 bi (1,7% do PIB) *13
– prejuízo anual para o SUS com os acidentes nas estradas: R$13 bi (1/3 do orçamento) *13
– “custo médio” de uma morte nas estradas: R$144 mil *13

:. lixo e poluição
– pneus descartados anualmente no Brasil: 40 milhões *9
– pneus descartados anualmente na União Européia: 90 milhões *9

:. alívio
– frota de bicicletas no Brasil: 60 milhões *5
– distribuição por regiões: Sudeste – 44%, Nordeste – 26%, Sul – 14%, Centro-oeste – 8%, Norte – 8% *5
– Bicicletas por tipo: transporte – 53%, infantil – 29%, lazer – 17%, esporte – 1% *5

:. dados e referências
– pessoas/hora transportadas em um metro de rua (por modo de transporte)*8:
carro – 170
Bicicleta – 1,500

ônibus – 2,700
pedestres – 3,600
trem/metrô – 4,000

-energia usada por passageiro a cada milha (em calorias)*8:
carro – 1,860
ônibus – 920
trem – 885
à pé – 100
bicicleta – 35

– bicicletas por 1000 pessoas (metade dos anos 90)*8:
EUA – 385
Alemanha – 588
Holanda – 1,000

– Porcentagem das viagens de bicicleta no total de viagens (1995)*8:
EUA – 1
Alemanha – 12
Holanda – 28

– porcentagem de adultos obesos (2003)*8:
EUA – 30.6
Alemanha – 12.9
Holanda – 10.0

– Percentual do PIB gasto com saúde (2002)*8:
EUA – 14.6
Alemanha – 10.9
Holanda – 8.8

:. fonte
*1 – CET
*2 – ANTP
*3 – Folha de São Paulo, 27.out.2004
*4 – Estado de São Paulo, 13.nov.2004
*5 – ABRACICLO
*6 – Dentatran / 2003
*7 – Estado de São Paulo, 09.mar.2006, p.C6
*8 – Worldwatch: http://www.worldwatch.org/node/4057
*9 – Estado de São Paulo, 23.jun.2006, p.A16
*10 – Associated Press (22.ago.2006)
*11 – São Paulo em Movimento / concessionárias: ônibus, permissionárias: lotações e micro-ônibus
*12 – PRO-AIM / CEINFO / SMS-SP
*13 – “Impactos sociais e econômicos dos acidentes de trânsito no Brasil 2004-2005” – IPEA, ANTP, OPAN
*14 – Estado de S.Paulo, 18/03/2007
*15 – Secretaria do Verde e do Meio Ambiente, março de 2007
*16 – OMS em reportagem do Estado de S.Paulo (23/04/07, p.C-6)
*17 – CET/Folha de S.Paulo (14/03/07)

“Se não pararmos com o aquecimento global, a natureza vai”

setembro 13, 2007

Tema utilizado pela WWF nas duas peças publicitárias abaixo.

1189445071_f.jpg

1189538493_f.jpg

Dia 22 de setembro: Dia mundial sem carro

setembro 3, 2007

No dia 22 de setembro, sabado, você DEVE deixar seu carro em casa e ir aonde você tiver que ir utilizando o transporte publico ou qualquer outro meio de transporte que você encontre; patins, bicicleta, skate, pula-pula ou até o velho e empoeirado pogo-ball. Porque? Porque nos outros 364 dias do ano você usou o seu carro, que polui, aumenta o seu sedentarismo, te impede de ver a paisagem, de conhecer pessoas e coisas novas. Para você não ficar indignado eu vou explicar: Em 1997 na França, país de primeiro mundo que utiliza a bicicleta integrada com outros meios de transporte, houve a primeira comemoração do dia mundial sem carro, a partir de 2005 a cidade de São Paulo também aderiu ao movimento e como em outras cidades do mundo, acontecem vários eventos paralelos, só para ninguem poder falar que vai ficar em casa entediado sem o seu carro. No mesmo dia comemora-se o dia do Rio Tiete, o dia Internacional da paz e é o primeiro dia da primavera e teremos uma virada esportiva em São Paulo, passeio ciclisticos, caminhadas, aulas de ginastica ao ar livre, enduros a pé organizados pelas subprefeituras e até natação no estádio do Pacaembu. Porque tudo isso? Bem, você ja deve ter reparado que o transito da cidade está caótico, qualquer tentativa de locomoção pela cidade de carro proximo aos horarios de pico ou em qualquer grande avenida é impossivel, bem, você e mais 71% da população de São Paulo reprovam o transito. Além disso, utilizando outras formas de transporte você chega mais rapido, escapa do transito, ajuda a sua propria saúde e a das outras pessoas e não fica parado 2 horas em um percuso que você demoraria 30 minutos em cima de uma bicicleta. Muito ainda tem que ser feito, ciclofaixas, ciclovias, integração com outros meios de transporte, mais linhas de metro e de onibus, mas temos que começar de algum jeito, acho que ja deu para perceber que se ficarmos parados os politicos não vão fazer nada, se não mostrarmos nossa indignação e até de nós mesmos evitarmos o que nos faz mal, no caso o carro, portanto deixe o seu veiculo em casa no dia 22 de setembro, pegue sua bicicleta, seus tenis, seu passe de metro e vá conhecer a sua cidade, porque dentro do seu carro, com os vidros fechados e o ar-condicionado ligado, você não consegue ver muita coisa, consegue apenas se concentrar com a distancia que mantém do carro parado na sua frente.

good-morning-lemmings.jpg

“Eu vi na Veja!”

setembro 2, 2007

Saiu na revista veja do dia 29 de agosto de 2007, a reportagem: “Vou de bicicleta” na parte de cidade, pagina 122.

A reportagem fala sobre a aposta das prefeituras das principais cidades européias na integração entre os meios de transporte e da aceitação da bicicleta como meio de transporte, a revista trata isso como se fosse uma novidade muito grande, mas sempre houve essa iniciativa nas cidades européias, Paris por exemplo é uma cidade que tem toda sua infra-estrutura do transito voltada para ciclistas, esses tem que obedecer sinais, locais permitidos de estacionamentos e outras leis basicas de condutas e interação entre outros meios de transporte e entre os proprios ciclistas. Creio que a revista trata isso como novidade porque o que acontece na Europa é que iniciativas privadas estão disponibilizando o serviço de bike commuting, que é nada mais nada menos que um aluguel de bicicletas, ja existem até maquinas para locação de  bicicletas como pode ser visto na imagem abaixo.

vending_2.jpg

Seguindo o estilo das vending-machines de refrigerantes, a empresa bikedispenser acredita no commuting e as bicicletas serão alugadas em um local da cidade e poderão ser entregues em qualquer outra maquina.

Bem vindos, a mim e a vocês.

agosto 30, 2007

O RECICLOCIDADE é um blog voltado a discussões sobre o transito da cidade de São Paulo, qualidade de vida e globalização e como esses 3 itens podem influenciar na nossa vida e nem percebemos.

Se você mora em São Paulo, bem como em outras grandes cidades, as vezes nem tão grandes assim, sabe o quanto o congestionamento é algo que literalmente ATRASA a vida, fazemos tudo correndo, com pressa, sem a qualidade que gostariamos para poder sair de casa / trabalho / faculdade, ou de onde quer que esteja para nos locomovermos a 10km/h em nossos carros para chegar a outro lugar, provavelmente atrasado, fazemos tudo com pressa, porque sabemos que vamos ficar horas parados no transito, estamos empregando nosso tempo mais na locomoção do que nas tarefas que temos no dia-a-dia, de fato, se locomover por São Paulo ja se tornou uma tarefa ardua a muito tempo. Com certeza o carro é muito mais confortavel que os outros membros de transporte, você ouve o seu radio, sente o seu cheiro, come as suas tranqueiras e fica parado, igual todo mundo continua parado, tanto no transito quanto fisicamente. Porque não utilizamos mais transporte publico? Ou bicicletas? ou qualquer outro meio de transporte que agrida menos o meio ambiente, que agrida menos a nossa saude e que ajude a conservar a ordem na cidade, será que é tudo culpa do governo? Sem duvida somos carentes de onibus, metros e outros transportes de qualidade, mas pare e pense um pouco, será que todo dia você precisa do seu carro para ir trabalhar? Será que não da para pegar o metro e ir a pé? a quantos anos você não anda 2 quadras a pé? Também somos carente de ciclovias, ciclofaixas e de programas de conscientização de motoristas, que mostrem que a bicicleta também é parte do transito. Não adianta culpar o governo, provavelmente eles nunca irão fazer nada se nós não começarmos a fazer, se cada um fizer a sua parte ja será um grande adianto na vida de todos. afiche-calle-inteligente-70.jpg

A imagem acima é um cartaz sobre a utilização do espaço publico na cidade de Bogotá na Colombia, nos 3 casos aparecem 150 pessoas, primeiro cada uma em seu carro, depois todas em um onibus bi-articulado e depois cada uma em sua bicicleta.

O nome, reciclocidade, foi baseado no estudo sobre a sustentabilidade do fisico Fritjot Capra, um dos termos desse estudo é a reciclagem que explica os CICLOS que os ecossistemas naturais seguem para garantirem sua sobrevivência. Todos ecossistemas produzem residúos decorrentes de sua alimentação e outras atividades, esses residuos são aproveitados por outros ecossistemas, o que é descartado por um, é utilizado por outro. Todos ecossistemas fazem essa reciclagem, menos um, as cidades, a melhor e maior expressão de ecossistema humano. O nome reciclocidade é uma critica a essa falta de reciclagem dos nossos residuos e um incentivo a começarmos a ver o mundo como um grande ecossistema, que precisamos dele assim como ele precisa de nós e só alcançaremos isso com a re-educação dos nossos costumes.